DE BEM COM A VIDA!!!

7 coisas para não fazer em uma entrevista de emprego 

25 MAI 2015
25 de Maio de 2015

Nem um currículo impecável, nem recomendações de peso: nada pode compensar os efeitos de uma entrevista de emprego catastrófica. Uma receita infalível para o fracasso é combinar ignorância com prepotência. Não há nada pior para um recrutador do que um candidato que quer ‘dar pitaco’ sobre o que claramente não entende. Na verdade, existem formas quase infinitas de garantir o "não" na fase presencial de um processo seletivo. Mas alguns erros são mais comuns do que outros. Confira e não os cometa:                                                                              1. Chegar atrasado e não pedir desculpas: Para começar com o pé esquerdo, nada melhor do que desrespeitar o horário marcado com o recrutador - e, de quebra, não demonstrar a menor preocupação com isso. Pequenos atrasos são relativamente aceitáveis em cidades grandes, mas se tornam imperdoáveis se o candidato não pede desculpas e nem justifica a ocorrência.                                     2. Começar a conversa falando mal do emprego anterior: Nenhuma atitude é tão comprometedora quanto criticar e desqualificar chefes e colegas do passado. A mensagem que fica para a empresa contratante é que o candidato pode fazer isso com qualquer empregador, inclusive com ela própria.                                             3. Mostrar desconhecimento sobre a sua própria trajetória: Ter um discurso impreciso e contradizer informações apresentadas no seu currículo são sinais claros de despreparo para qualquer recrutador. Se o candidato é vago ou incoerente durante a entrevista, duas hipóteses são consideradas: ou ele não domina a sua própria história profissional, ou está mentindo.                                  4. Descrever-se como um super-herói: Muitas pessoas tentam vender uma ideia de que todos os seus resultados foram maravilhosos - e tudo graças a elas. Além de soar arrogante, essa atitude mostra que o candidato desconhece ou subestima a importância do trabalho em equipe. É justamente o que as empresas não querem mais atualmente.                                                                                                       5-Apresentar uma pretensão salarial totalmente aleatória: Nem todos os recrutadores perguntam qual é a remuneração pretendida pelo candidato. Mas, se esse for o caso, lançar um valor qualquer à mesa é uma péssima ideia. Isso porque candidato precisa mostrar o raciocínio que o levou a pedir um determinado salário. Se não é assim, soa como uma aposta.                                                                     6. Ao final, não perguntar nada (ou perguntar algo desnecessário): Profissionais que não questionam nada na entrevista transmitem falta de curiosidade pela empresa e até desinteresse pela vaga. Também é problemático encher o entrevistador de perguntas sobre assuntos irrelevantes. Não é o momento para querer saber sobre a marca do carro a que a equipe comercial terá acesso, por exemplo.                                                                                          7. Nos dias seguintes, pressionar o recrutador por um retorno: A má impressão causada por um candidato pode continuar mesmo semanas depois da entrevista. Basta ligar e mandar e-mails insistentemente para o recrutador cobrando por uma resposta. Além de transmitir ansiedade e insegurança, a postura por si só é irritante. É melhor perguntar ao recrutador qual é o prazo para a conclusão do processo seletivo e esperar pacientemente até a data.                  Matéria publicada em EXAME.com.

Voltar

Início      Carajás FM      Programação      Blog      Galeria      Contato